agosto 07, 2008

Álcool

Ouve-se, ao longe, o carro chegar.

Ouve-se o carro chegar mais perto.

Ouvem-se os passos nas escadas. A porta abre, a porta fecha.

Tudo na cozinha mexe. O frigorífico abre vezes sem conta, as latas mexem, os frascos, o caixote do lixo, a lata do pão, tudo abre e fecha vezes sem conta. Repetidas vezes mexem os mesmos objectos.

O autoclismo é descarregado.



Agora noto melhor. Pareço ter ouvido tísico, mas não... é apenas treino. O intervalo de tempo que meço separar cada passo dá-me a quase certeza de que um torpedo sem equilíbrio se arrasta de parede em parede na cozinha.

Repete os mesmos movimentos. O frigorífico, as latas, os frascos, o caixote do lixo, a lata do pão... todos os movimentos se repetem, tudo mexe. Tudo faz barulho. Do género "então? cheguei a casa! não há ninguém nem nenhum banquete à minha espera??"
E a minha paciência esmorece. Os meus sonhos, a minha vontade, a minha alegria, até mesmo o meu corpo... tudo esmorece em mim. Subitamente, os meus músculos são também eles pesados e sem força... como que numa relação de causa - efeito. Ele bebe e deambula. Eu esmoreço, e vou dormir para só amanhã acordar.

7 comentários:

Princesa disse...

eu diria k está muito bom.

David disse...

Mais um texto muito bom Inês.
Continua :D

Anónimo disse...

sei o que isto significa...ao ler este texto lembrei-me de momentos k não desejo a ninguem...beijitos do pimo

Madalena disse...

minha querida ines,continuo com saudades tuas :] quero saber de ti,como correu esse verao e como estas. eu adorei o campo,a joana ficou na minha tenda ,ela depois conta te algumas coisas:] so para deixar um grande beijinho ,e ja agora,adorei o que li. es beleza

Cátia Vieira disse...

que texto divinal! beijinho

Ana Pliim disse...

Bem, que texto, adorei :)

Mi disse...

Aiii, a ler este texto lembrei-me de uma coisa girissima que te deves lembrar também. Aqui vai: " o texto do frigorífico, não é?" (private jocke) xD

Optimo, para variar! =D

Sheep*